Login

Esqueci minha senha

Últimos assuntos
» 1º Evento Fanblog - Skin Natalino >>> CADASTRO <<<
Ter Mar 26, 2013 4:49 pm por >>>Caos<<<

» A Origem e a Vida das VACAS VOADORAS !
Sab Out 16, 2010 12:02 pm por tobi

» Lucian vs [GM]Ashkental '-'
Sab Jul 24, 2010 8:09 pm por thiago2925

» Assinatura
Qua Ago 05, 2009 12:53 pm por LFCkiller

» Air Gear - Animê ( Saiba de onde veio o Ikki, Koga e Behe. )
Qua Jul 15, 2009 11:27 pm por Smith

» Ragnarök Online ganha nova Expansão no Brasil
Qua Jul 15, 2009 11:25 pm por Smith

» Vendo minha acc
Qua Jul 15, 2009 11:19 pm por Smith

» Go Squirrel Go
Qua Jul 15, 2009 11:16 pm por Smith

» Primeiro skin que fiz *-*
Sex Maio 01, 2009 11:26 pm por Grafite

Votação
Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar

'Carro do futuro' terá lataria que desamassa sozinha

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

'Carro do futuro' terá lataria que desamassa sozinha

Mensagem  Smith em Qui Fev 19, 2009 11:10 pm

Desenvolvimento da nanotecnologia 'reinventa' os automóveis.
Inovações na área podem reduzir custos, emissões e aumentar conforto.


Nada como chegar na garagem de manhã, olhar para o carro e ver que aquele amassadinho na lataria, feito no dia anterior, não está mais lá. Sozinho, o carro "reparou" a batida. Tecnologia como esta pode ainda demorar um pouco para atingir a escala de produção, mas não é mais uma idéia distante da realidade. Tudo graças ao uso da nanotecnologia em materiais para a indústria automobilística.


A nanotecnologia trabalha com estruturas extremamente pequenas, do tamanho de moléculas, o que aumenta a capacidade de manipulação dos materiais. Por isso, os estudos estão voltados na melhoria dos componentes e abrangem diversos materiais como metais, tintas, plásticos e vidros — até nos pneus a nanotecnologia é aplicada para o aumento do tempo de retenção da pressão.


Plásticos mais resistentes

No caso do desenvolvimento de veículos, a aplicação dos nanocompostos vive a chamada “primeira onda”, que está concentrada nos plásticos. De acordo com o diretor regional de São Paulo da SAE Brasil (Sociedade de Engenheiros da Mobilidade), Flávio Campos, os carros com projetos de menos de um ano e meio já têm esses materiais.

“O que temos implantado tanto no Brasil quanto fora são materiais plásticos com mais resistência ao calor, mais robustos e, em alguns casos, com ganhos de produção, por causa da redução de custos”, explica Campos.




As aplicações em plástico são diversas: painéis, carroceria, forraçãoe outros acabamentos. Mas o grande ganho tem sido no compartimento do motor, devido à resistência às altas temperaturas. “A indústria vem substituindo partes metálicas por plástico. No Brasil, ainda não temos essa característica devido a processos internos, mas é uma tendência”, afirma o diretor da SAE.

De acordo com o gerente de desenvolvimento de produtos e mercado da Nova Petroquímica, Cláudio Marcondes, a utilização de nanopartículas de cerâmica é uma das inovações que têm ajudado a melhorar as características dos plásticos.


Pintura à prova de riscos

A onda seguinte aos plásticos é a da pintura, que já está em processo avançado de desenvolvimento. Campos explica que, nesta área, há duas linhas de pesquisa. A primeira trabalha com a resistência a riscos. “Você pode passar um prego na lataria e a pintura não risca”, observa. A outra, é a propriedade de reconstituição, ou seja, o risco na pintura some com o tempo.

“Esta tecnologia está sendo lançada fora do Brasil e é muito cara. Precisaria de uma escala adequada para compensar o custo. Não dá para uma pessoa pagar, por exemplo, R$ 20 mil a mais em um carro só por causa dessa característica”, pondera.

Sobre a nanotecnologia nas tintas, o coordenador de tecnologias entre os vários centros de pesquisa e desenvolvimento da DuPont no mundo com foco no mercado sul-americano de tintas automotivas, José Valdir Guindalini, afirma que ainda não existe um verniz que resista a todos os “ataques”, mas a resistência ao risco já é um grande avanço.

A manipulação das propriedades dos metais já caracteriza uma outra onda de inovações, ainda no início de desenvolvimento. “Existe uma pesquisa na Alemanha que estuda o desenvolvimento de um efeito borracha na chapa de metal, ela amassaria e, depois, voltaria ao estado inicial. Mas é uma pesquisa muito de fronteira ainda”, ressalta Flávio Campos.




Banco bactericida e vidro que escurece

O trabalho com a nanotecnologia abre extenso leque na indústria automobilística. Um exemplo é o uso de nanopartículas de prata em dutos e caixa de ar-condicionado, carpetes e tecidos, com foco no benefício proporcionado pela característica bactericida do material.



Aliás, as propriedades da prata já são exploradas pela indústria têxtil. “A nanoprata mata 90% de fungos, algas e bactérias. A aplicação em fibras de bancos, por exemplo, traria benefícios até a ônibus e metrô”, aponta Cláudio Marcondes.


Em relação aos vidros, as pesquisas vão desde a mudança das propriedades do material até a sua substituição por policarbonato (material sintético). A mais recente inovação, aplicada, por enquanto, apenas em Ferraris, é o vidro eletrocrômico. O diretor-geral da Saint-Gobain Sekurit para Brasil e Argentina, Manuel Corrêa, explica que a tecnologia utiliza uma passagem de corrente elétrica pelo vidro, para que a cor do vidro se adapte de acordo com a necessidade de luminosidade do condutor.


Desafio é conseguir escala de produção

Quem compra um Ferrari, provavelmente terá dinheiro para bancar tecnologias como essas. Entretanto, quase ninguém pode comprar uma Ferrari. Por esse motivo, o maior desafio da indústria automobilística é tornar comerciável tal tecnologia — e isso só é possível com a economia de escala.

É o que já acontece com os plásticos, por isso representa a primeira onda de avanço. Flávio Campos, da SAE, explica que na área de plásticos, os benefícios proporcionados com a tecnologia têm sido maior que o custo de desenvolvimento.

Campos ressalta o alto investimento em pesquisa o caminho para tornar comerciável mudanças em todas as áreas de materiais. E o argumento para isso abrange, inclusive, questões ambientais, já que a nanotecnologia pode facilitar a reciclagem dos componentes e ajudar na redução do peso total do veículo, o que diminui os níveis de emissão de gases poluentes.



"O Brasil precisa de mais investimentos nessa área de nanotecnologia, que é muito importante na busca pelo carro barato e mais competitivo mundialmente", ressalta Campos.


Galera entra nesse site: http://g1.globo.com/Noticias/Carros/0,,MUL581881-9658,00-CARRO+DO+FUTURO+TERA+LATARIA+QUE+DESAMASSA+SOZINHA.html

nesse site acima tem uma demonstraçao do carro, e como ele vai ser xD.

Fonte:G1

Smith
Urso
Urso

Número de Mensagens : 423
Idade : 20
Localização : Algum Lugar Do Mundo =) !!!
Data de inscrição : 14/02/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 'Carro do futuro' terá lataria que desamassa sozinha

Mensagem  thiago2925 em Qui Fev 19, 2009 11:12 pm

CArro fooodaaaaaaaaaa quero uuum

thiago2925
Fênix
Fênix

Número de Mensagens : 703
Data de inscrição : 11/11/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

xD

Mensagem  Smith em Qui Fev 19, 2009 11:14 pm

Doido neh, rodas, lataria, ar condicionado,pintura entre outros mto loco. o carro bunitao xD

Smith
Urso
Urso

Número de Mensagens : 423
Idade : 20
Localização : Algum Lugar Do Mundo =) !!!
Data de inscrição : 14/02/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 'Carro do futuro' terá lataria que desamassa sozinha

Mensagem  thiago2925 em Ter Mar 10, 2009 11:27 pm

hihihihi o melhor dele é o preço -.-' Bravo

thiago2925
Fênix
Fênix

Número de Mensagens : 703
Data de inscrição : 11/11/2008

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: 'Carro do futuro' terá lataria que desamassa sozinha

Mensagem  Conteúdo patrocinado Hoje à(s) 5:51 pm


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum